Perfil das infecções hospitalares em um Hospital Universitário do Submédio do Vale do São Francisco – Brasil

Versões

PDF

Palavras-chave

Infecções
Taxas
Hospital

Resumo

As Infecções Hospitalares (IH) causam um alto impacto nos indicadores de morbimortalidade, aumentam o período de internação e elevam os custos para o governo. O presente estudo analisou o perfil das infecções hospitalares de um Hospital Universitário. Trata-se de um estudo observacional, retrospectivo e descritivo com uma abordagem quantitativa, cuja fonte dos dados foi o relatório bienal do Sistema de Controle de Infecção Hospitalar durante os anos de 2016 e 2017. Foram calculadas a taxa geral de IH, a porcentagem de Infecções de Sítio Cirúrgico (ISC), a densidade de incidência (DI) das infecções de pneumonia associada a ventilação mecânica (PAV), das Infecções do Trato Urinário (ITU) e das Infecções Primária da Corrente Sanguínea (IPCS). Foi observado uma taxa geral de IH nos anos 2016 e 2017 que variou entre 5 e 11,8%. A taxa de ISC, no ano de 2016, teve uma média de 2,5%, porém, percebe-se um aumento considerável em 2017, com uma taxa máxima de 5,9%. Para a PAV, a DI durante o ano de 2016 variou entre 12,9% a 68,8%, já em 2017, a variação foi entre 23,1 e 90%. Em relação a ITU, em 2016, a DI foi 33%, ao passo que em 2017 foi de 28,3%. Para as IPCS, no ano de 2016 a DI máxima foi 55,8%, enquanto em 2017, foi de 27,2%. Para as IH, a prevenção é uma ferramenta essencial. A sensibilização da equipe de saúde, visitantes e familiares quanto as melhores práticas é fundamental para a redução dos índices das IH.

https://doi.org/10.51909/recis.v2i1.117
PDF

Referências

Brasil. Portaria n 2.626 de 12 de maio de 1998. Expedir as diretrizes e normas para prevenção e o controle das infecções hospitalares. Diário Oficial da União - Brasília [Internet].1998 [citado 2020 Jan 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1998/prt2616_12_05_1998.html.

Fernandes AT. Infecção hospitalar e suas interfaces na área da saúde. São Paulo: Atheneu, 2000.

Boyce JM. Environmental contamination makes na importante contributionto hospital infection. The Journal of hospital infection 2007; 65 (52): 50-54. https://doi.org/10.1016/S01956701(07)60015-2

Padoveze MC, Fortaleza CMCB. Infecções relacionadas à assistência à saúde: desafios para a saúde pública no Brasil. Revista de Saúde Pública 2014; 48 (6): 995-1001. https://doi.org/10.1590/s00348910.2014048004825

Nogueira Junior C, Mello DS, Padoveze MC, Boszczowski I, Levin AS, Lacerda RA. Characterization of epidemiological surveillance systems for health care-associated infections (HAI) in the world and challenges for Brazil. Cadernos de Saúde Pública 2014; 30 (1): 11-20. https://doi.org/10.1590/0102311X00044113

Catão RMR, Freitas e Silva PM, Feitosa RJP, Pimentel MC, Pereira HS. Prevalência de infecções hospitalares por Staphylococcus aureus e perfil de suscetibilidade aos antimicrobianos. Revista de enfermagem UFPE on line 2013; 7 (8): 557- 64. https://doi.org/10.5205/reuol.3452-28790-4-ED.0708201325

Torres RA; Torres BR. Importância e bases de um programa de controle e prevenção de infecção em unidade de terapia intensiva geral. Revista Médica de Minas Gerais 2015; 25 (4): 577-582. http://www.dx.doi.org/10.5935/22383182.20150125

Ferraz RRN, Lapchik MS, Barnabe AS, Fornari JV. Não conformidades nas práticas de precaução / Isolamento e ocorrência de infecções por acinetobacter baumanii relacionadas à assistência à saúde como elemento de melhoria no processo de gestão. Revista Acadêmica São Marcos - São Paulo 2014; 4 (1):19-29.

Oliveira FJG, Caetano JA, Silva VM, Almeida PC, Rodrigues AB, Siqueira JF. Use of clinical indicators in the evaluation of prevention and control practices for bloodstream infection. Texto & contexto enfermagem 2015; 24 (4): 1018-1026. https://doi.org/10.1590/01040707201500004040014

HOECKE, F.V.; DELOOF, N. E.; CLAEYS, G. Performance evaluation of a modified chromogenic medium, Chrom ID MRSA New, for the detection of methicillin-resistant Staphylococcus aureus from clinical specimens. European Journal of Clinical Microbiology and Infectious Diseases 2011; 30 (12): 1595-1598. https://doi.org/10.1007/s10096-011-1265-3

Qian Q, Venkataraman L, Kirby JE, Gold HS, Yamazumi T. Direct Detection of Methicillin Resistance in Staphylococcus aureus in Blood Culture Broth by use of a Penicillin Binding Protein 2a Latex Agglutination Test. Journal of Clinical Microbiology 2010; 48 (140): 1420-1421. https://doi.org/10.1128/JCM.01517-09

Queenan AM, Bush K. Carbapenemases: the Versatile ß-Lactamases. Clinical Microbiology 2007; 20 (5): 440-458. https://doi.org/10.1128/CMR.00001-07

Peirano G, Seki LM, Val Passos VL, Pinto MC, Guerra LR, Asensi MD. Carbapenem-hydrolysing beta-lactamase KPC-2 in Klebsiella pneumoniae isolated in Rio de Janeiro, Brazil. Journal of Antimicrobial Chemotherapy 2009; 63 (2); 265-268. http://www.dx.doi.org/10.1093/jac/dkn484

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Ministério da Saúde). Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Brasília [Internet] 2013 e 2017 [citado 2020 Jan 20]. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/Medidas+de+Preven%C3%A7%C3%A3o+de+Infec%C3%A7%C3%A3o+Relacionada+%C3%A0+Assist%C3%AAncia+%C3%A0+Sa%C3%BAde/6b16dab3-6d0c-4399-9d84-141d2e81c809.

WHO. World Health Organization. 10 facts on patient safety. [Internet] 2014 [citado 2020 Jan 20]. Disponível em: http://www.who.int/features/factfiles/patient_safety/en/.

WHO, World Health Organization. Health care-associated infections Fact Sheet. [Internet] 2014 [citado 2020 Jan 20]. Disponível em: https://www.who.int/gpsc/country_work/gpsc_ccisc_fact_sheet_en.pdf.

Prade SS, Vasconcellos M M. Identificando Fontes de Dados nos Sistemas de Informações do SUS para a Vigilância Epidemiológica das Infecções Hospitalares. Inf. Epidemiol. Sus [Internet]. 2001 [citado 2020 Abr 19]; 10 (3): 121-128. Disponível em:http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010416732001000300003&lng=pt.

Moura MEB, Campelo SMA, Brito FCP, Batista OMA, Araújo TME, Oliveira ADS. Infecção hospitalar: estudo de prevalência em um hospital público de ensino. Revista brasileira de enfermagem 2007; 60 (4): 416-421.https://doi.org/10.1590/S003471672007000400011

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Sítio Cirúrgico: Critérios Nacionais de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde. Brasília [Internet]. 2009. [citado 2020 mar 08]. Disponível em: Disponível em:http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/criterios_nacionais_ISC.pdf

Carrara D, Strabelli TMV, Uip DE. Controle de infecção: a prática do terceiro milênio. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2017.

Ferraz ÁA, Bandeira VCFM, Santa-Cruz F, Aquino MAR, Buenos-Aires VG, Siqueira LT. Infecção de sítio cirúrgico após cirurgia bariátrica: resultados de uma abordagem com pacote de cuidados. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões 2019;46(4):e2252. https://doi.org/10.1590/01006991e20192252

Almeida MCS. Avaliação dos eventos adversos associados à ventilação mecânica como indicador de qualidade assistencial. 2017. Tese (doutorado) -Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

https://doi.org/10.11606/T.5.2018.tde15022018-132230

Mazzo A, Godoy S, Alves LM, Mendes IAC, Trevizan MA, Rangel EML. Cateterismo urinário: facilidades e dificuldades relacionadas à sua padronização. Texto contexto – enfermagem 2011; 20 ( 2 ): 333-339. https://doi.org/10.1590/S010407072011000200016

Galiczewski JM; Shurpin KM. Na intervention to improve the catheter associated urinary tract infection rate in a medical intensive careunit: Direct observation of catheterinsertion procedure. Intensive CritCare Nurs 2017; 40: 26-34. https://doi.org/10.1016/j.iccn.2016.12.003

Silva AG, Oliveira AC. Prevenção da infecção da corrente sanguínea relacionada ao cateter venoso central: uma revisão integrativa. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, Rio de Janeiro 2016; 4 (2): 117-125. https://doi.org/10.3395/2317-269x.00705

Oliveira AC, Paula AO, Iquiapaza RA, Lacerda ACS. Healthcare associated infections and severity of illness index of patients in Intensive Care Units. Revista Gaúcha Enfermagem 2012; 33(3):89-96. https://doi.org/10.1590/S198314472012000300012

Mota FS, Oliveira HÁ, SOUTO RCF. Perfil e prevalência de resistência aos antimicrobianos de bactérias Gram-negativas isoladas de pacientes de uma unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Análises Clínicas [RBAC] 2018;50 (3): 270-7. https://doi.org/10.21877/24483877.201800740

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista de Ensino, Ciência e Inovação em Saúde