Perfil epidemiológico de acidentes envolvendo animais peçonhentos no Sertão do Estado de Pernambuco (2009 -2019)

Resumo

Acidentes com animais peçonhentos apresentam alta incidência no Brasil e demonstram crescimento de ocorrências devido à persistência dos desmatamentos e à não utilização de materiais de proteção individual nas atividades do campo. Pertencentes à lista de doenças negligenciadas, sua subnotificação no país contribui para essa situação. Com o objetivo de sistematizar dados acerca dos acidentes com animais peçonhentos, foi realizado um estudo observacional, retrospectivo e descritivo dos casos desses acidentes confirmados e notificados na Macrorregião de Saúde do Vale do São Francisco e Araripe e Macrorregião de Saúde do Sertão, no Estado de Pernambuco. As informações foram coletadas pelo banco de dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil. A análise dos dados mostrou que a incidência de notificação dos casos aumentou de 35,88 para 247,01/100.000 habitantes no período estudado; os animais que mais causam essa categoria de acidente são escorpiões (42,9%), abelhas (29,3%) e serpentes (16,3%); sendo as serpentes mais envolvidas nesses episódios, as espécies dos gêneros Bothrops  (86,8%) e Crotalus (8,9%); a maioria dos pacientes envolvidos evoluem para casos leves (78,8%); além disso, o grau de escolaridade mais prevalente nos pacientes é de Ensino Fundamental I incompleto (12,45%). Os dados aqui apresentados podem ser utilizados para orientar o desenvolvimento de campanhas de profilaxia e tratamentos adequados no país, auxiliando gestores de saúde e facilitando o trabalho das equipes da atenção básica em saúde.

https://doi.org/10.51909/recis.v2i1.116
PDF
Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista de Ensino, Ciência e Inovação em Saúde